quinta-feira, 22 de agosto de 2013

quinta-feira, 22 de março de 2012

Que coisa impressionante é o cinema! Parece
que não
existe um delito humano ou um qualquer esplendor, ainda que
apagadinho, que
o cinema já não tenha autopsiado. Falou de tudo, fala,
especulou, especula,
sugere, argumenta, contradiz, confirma, dá brilho,
apaga, mente, engana,
glorifica a merda e negligencia heroísmos, troca de
dono, se mete em tudo quanto
é buraco da alma… Pena que, na maioria das
vezes, faça tudo isto
superficialmente. Mas quando toca na ferida,
iguala-se, certamente, às grandes
tragédias gregas, aos afrescos
renascentistas, às muitas músicas de todos os
tempos.

domingo, 9 de janeiro de 2011

O que posso fazer? Afinal a vida é ao vivo, não é como os filmes!